Antes de mais nada, acredito que se lembre que o assunto liderança eficaz já tem sido um dos nossos temas aqui no Blog da fhop. Esse tipo de liderança começa quando servimos. E aumenta em autoridade à medida que aprendemos a nos auto liderarmos. Todos nós temos o desejo de crescermos em nossa liderança. Tanto internamente (autogoverno), como externamente (quando lideramos sobre outros). Um importante aspecto desse tema, tem a ver com as relações familiares. Dessa forma, como governamos as nossas casas e conduzimos os nossos filhos?

Esta é uma reflexão muito importante que precisamos fazer diante do Senhor. Pedir que Ele sonde o nosso coração e nos dê sabedoria. Para assim, conduzirmos as pessoas que mais amamos a viver segundo os preceitos da Palavra. Hugo Grotius afirma:

“Aquele que não sabe como governar um reino não pode dirigir uma província; aquele que não pode lidar com uma província não pode comandar uma cidade; nem comandar uma cidade, aquele que não sabe liderar uma vila; não pode liderar uma vila aquele que não consegue guiar uma família; nem consegue governar bem uma família aquele que não sabe governar a si mesmo; ninguém pode governar a si mesmo a não ser que a razão comande, e a vontade e o apetite sejam submetidos a ela; nem a razão pode governar a não ser que ela seja governada por Deus, e (completamente) obediente a Ele.” Hugo Grotius

Como o homem governa a sua casa, governará tudo ao seu redor

Da mesma forma como homem governa a sua casa, ele governará todas as coisas ao seu redor. Esta afirmação pode soar um tanto dura para alguns. Mas ela é bem verdadeira e um dos maiores desafios da vida cristã.

Talvez, você já tenha ouvido aquela história em que, o filho do pastor, pede a mãe para se mudar para o prédio da igreja. A mãe questiona o filho sobre o motivo do desejo. Bom, para resumir a história, o filho responde que na igreja, o pai é uma boa pessoa. Descontando as nuances da narrativa, se é, pastor, presbítero ou diácono… A realidade continua sendo a mesma. Na igreja o pai é um tipo de pessoa. E em casa, isto é, no ambiente familiar, pode ser um homem bem diferente.

Quantos de nós não conhecemos tais histórias? De tantos filhos de cristãos que após um certo tempo, não querem mais os ensinamentos bíblicos da infância? O objetivo aqui não é levantar nenhum tipo de acusação. Na verdade, sejamos pragmáticos e sábios. Vamos olhar a história com o fim de aprendermos com os nossos erros e reparar as brechas do passado.

Sendo fiel nas pequenas coisas

Já ouviu aquela máxima que diz : “Aquele que não é fiel no pouco também não será fiel no muito?” “Quem é fiel no pouco, também é fiel no muito, e quem é desonesto no pouco, também é desonesto no muito.” Lucas 16:10. Cada um de nós temos uma responsabilidade diante de Deus. De exercemos fidelidade em qualquer esfera social. Seja em nosso lar, no mercado de trabalho ou na igreja.

O que podemos perceber é que, antes que exerçamos qualquer tipo de liderança ou governo externo, é preciso que governo interno esteja fluindo em nós. E no ambiente familiar é o lugar onde temos mais liberdade para ser quem somos. No lar, somos alinhados. Nesse lugar, nosso cristianismo é provado. E assim, poderemos exercer tal liderança ensinando os filhos no caminho em que eles devem andar. E isso, além das palavras que pronunciamos, está principalmente relacionados ao jeito que vivemos. Timóteo assevera a respeito do dever pastoral do presbítero:

“Ele deve governar bem sua própria família, tendo os filhos sujeitos a ele, com toda a dignidade. Pois, se alguém não sabe governar sua própria família, como poderá cuidar da igreja de Deus?” 1 Timóteo 3:4,5

O que a gente faz fala muito mais do que só falar

O trecho acima é o refrão de uma música cristã dos anos 90, da Banda Fruto Sagrado. Essa frase expressa o ardente desejo do nosso coração. De que nossas ações sejam mais profundas do que aquilo que apenas falamos. Quebrar esses paradigmas não é tão fácil quanto gostaríamos. Mas é igualmente necessário para governar nossa casa de acordo com os princípios de Deus.

Por outro lado, isso não é um compromisso com o perfeccionismo. Sim, preste atenção. Vivemos em um mundo caído. Vamos cometer erros, mas estes não serão prisões. A graça eleva o padrão. Mas também é tudo o que precisamos para praticar a Palavra. E qual é o nosso modelo de liderança para a família? Provérbios nos dá uma resposta.

“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.” Provérbios 22:6

E como se ensina a Palavra?

Primeiramente é pelo exemplo. Aprendemos com nossos pais porque os imitamos. Isso não é consciente o tempo todo. Mas é assim. Se eles amam a Deus, temos grande chances de amar a Deus com a mesma intensidade. E principalmente, temos uma promessa. Sementes não serão perdidas, mas um dia, brotarão. Lembra que o filho pródigo não teve outra coisa a fazer além de voltar à casa do pai?

Vocês que são pais, têm sentido dificuldades em ensinar os filhos a respeito de Jesus? Como tem sido sua experiência diante dos desafios do mundo?

Enfim, precisamos ir mais profundo neste tema. Assim, teremos um estilo de vida que agrada ao Senhor. E daremos testemunho de quem Jesus É. Ele sempre liderou pelo exemplo e eu quero aprender com Ele, e você?

Nayla Cintra

Nascida em Mato Grosso, Nayla é missionária em tempo integral desde 2011, tendo já servido durante 4 anos na JOCUM (Jovens Com Uma Missão) e quase 2 anos como missionária intercessora no FHOP (Florianópolis House of Prayer). Nayla carrega um coração para pessoas em situação de vulnerabilidade social, ama o mundo artístico e criativo, é apaixonada por missões, mas tem como maior desejo ver o nome de Jesus sendo conhecido entre todos os povos e tribos da Terra.

Deixe uma resposta

×
×

Carrinho

Fechar