O alvo da oração é o ouvido de Deus.”  Essa frase de C. H. Spurgeon, de certa forma, resume o que deveria ser óbvio, mas nem sempre é.

Quando oramos, deveríamos ter em mente quem nos ouve. Não só no que se refere a posição que ocupa, de Criador e Governador de todo universo, mas também ao ouvido de Pai que nosso Deus possui.

NEle reside todo poder para mudar nossas circunstâncias e o desejo de fazê-lo, pelo simples fato de que nos ama. Por isso, a expectativa de ser respondido está intrinsecamente associada à revelação que temos de quem Ele é. Quanto mais revelação tivermos de Seu caráter redentivo e de Seu amor incodicional, maior será nossa certeza que Ele nos responderá.

Similarmente, a convicção da resposta também envolve revelação de como Ele nos vê. Saber quem somos nEle, e conhecer o valor que Ele atribui a nossa vida, é igualmente imprescindível ao acessarmos sua presença. A expectativa da resposta será potencializada, quando o acesso é fundamentado na revelação de nossa filiação. A posição de herdeiros nos garante acesso irrestrito e irrevogável.

Embora nossa falta de fé, na maioria das vezes, não esteja associada a incapacidade dEle em nos atender, pode ser afetada pela falta de revelação de quem somos nEle. Em geral, é nossa baixo autoestima que limita nossa ousadia. 

“Aquele que fez o ouvido não ouvirá? E o que formou o olho, não verá?” Sl 94.9

“Ó Deus, ouve a minha oração, inclina os teus ouvidos às palavras da minha boca.” Sl. 54.2

Seja qual for a circunstância que esteja nos impedindo de correr na direção de nosso chamado ou destino, ela é menor do que a capacidade de Deus de modificá-la.  Já que, nenhuma enfermidade ou limitação é grande suficiente para ameaçar Sua soberania e poder.

Certamente o ouvido de Deus está atento ao nosso clamor. Nossa fé e determinação são testadas quando nos aproximamos dEle. Nossos sussurros são ouvidos. Ele está mais atento do que conseguimos perceber ou avaliar.

“Sussurros, que não podem ser expressos em palavras, são freqüentemente orações que não podem ser recusadas.” C. H. Spurgeon

Por isso, sussurre hoje aos ouvidos dAquele que ouve, tendo a certeza de que Ele se importa. Inegavelmente, Ele tem poder para trazer a existência, em sua vida, aquilo que não existe.

“…porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.” Hb. 11.6

Grace

Grace Wasem, gaúcha, atuou como secretária no mercado de trabalho por 30 anos. Em 2016 vinculou-se ao FHOP como missionária tempo integral. Sonha ver e contribuir para o treinamento de uma noiva apaixonada que clama: Maranatha!

Deixe uma resposta

×
×

Carrinho

Fechar